if it’s love that you want

ontem foi meu terceiro aniversário no verão e eu ainda não me habituei a isso; parece que são os festejos de outra pessoa. ainda não me habituei a essa nova identidade. lá no fundo ainda sou eu de conjuntinho de moletom me escondendo dos parabéns. mas mergulhei no mar, fechei ciclos, tive a companhia dos amores queridos e aprendi uma coisa nova aqui: “só faz falta quem está”. ganhei miminhos lindos, dentre eles um herberto cujo primeiro poema é um sopro de vida pra começar o novo ano:

ODE DO DESESPERADO

 A morte está agora diante de mim
como a saúde diante do inválido,
como abandonar um quarto após a doença.

A morte está agora diante de mim
como o odor da mirra,
como sentar-se sob uma tenda num dia de vento.

A morte está agora diante de mim
como o perfume do lótus,
como sentar-se à beira da embriaguez.

A morte está agora diante de mim
como o fim da chuva,
como o regresso de um homem
que um dia partiu para além-mar.

A morte está agora diante de mim
como o instante em que o céu se torna puro,
como o desejo de um homem de rever a pátria
depois de longos, longos anos de cativeiro.

*

& como não poderia deixar de ser: uma playlist.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s