ser sempre um estrangeiro

pedi a tradução disto de aniversário e daniel atendeu:

…viver em um lugar ou em vários, ser sedentário ou viajante, ser um nacionalista detestável ou um nômade de espírito.
(…)
Ou se enraizar de acordo, se reencontrar, ou moldar suas raízes, arrebatar no espaço o lugar que será seu, edificar, estabelecer-se, se apropriar, milímetro a milímetro, do seu lar: estar inteiramente na sua aldeia, se saber cévenol (1),  se fazer poitevin (2).
Ou então levar apenas suas roupas nas costas, não guardar nada, viver num hotel e mudar-se dele com frequência, e mudar de cidade, e mudar de país; falar, ler quatro ou cinco línguas indiferentemente; não se sentir em casa em lugar algum, mas estar bem quase em toda parte.
(…)
Definitivamente, ir com seus netos colher amoras ao longo dos estreitos caminhos nacionalistas ou viajar e perder os países de vista, perdê-los todos de vista viajando nos trens iluminados do mundo noturno, ser sempre um estrangeiro.

(1 ) Cévenol é o gentílico da região de Cévenes, uma cadeia montanhosa no Maciço Central da França, dos departamentos de Lozère e Gard. Também é o nome de uma linha de trem que liga as cidades de Paris, Clermont-Ferrand, Nîmes e Marseille.
(2) Poitevin é também o gentílico da cidade de Poitiers, na França, e da região onde se situa, Poitou.

 

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s